Luís Batista nomeado Comendador do UDV


Luís batista é o novo Comendador do União Desportiva Vilafranquense.

É Oficial! o 'Major' da claque Piranhas do Tejo: Luís Batista foi hoje nomeado Comendador do União Desportiva Vilafranquense. Uma merecida menção honrosa e o reconhecimanto devido a alguém que já tanto fez pelo clube. De há algumas semanas a esta parte, ouvia-se em surdina pelos corredores do Pavilhão Mário Cerejo, que Luís seria distinguido com a nomeação, ele que sempre foi alguém muito próximo da Direção do UDV, e chegou mesmo a ser requisitado pelos atletas da Equipa de Seniores em várias partidas da Época, para após a Palestra do Mister Fernando Ferreira, deslocar-se ao balneáreo para dar moral aos barvos atletas. Hoje confirmam-se esses rumores. O 'Major' é mesmo Comendador.


Biografia:

Luís Batista, 33 anos, Vilafranquense adoptado, conhecido empresário de sucesso e dono de uma cadeia de boîtes noturnas.

Fundou a Claque Piranhas do Tejo em 2007, é considerado também um dos maiores mecenas do clube. injectou capital na SAD vilafraquense nas ordem dos milhares de euros.

desde cedo contou com relações previligiadas com a Direcção do Clube e sempre teve uma palavra a dizer nas contratações do União nas duas últimas épocas.

3 comentários:

Alter Ego disse...

Quero dar aqui os meus parabéns ao Sr. Comendador Luís Baptista pela honra que lhe foi justamente prestada pelo UDV. Viva o Sr. Comendador! Viva o UDV e viva Vila Franca de Xira.

Teliahy disse...

Muitos parabens Sr. Comendador... merecido sem dúvida!!!

Anónimo disse...

Parabéns ao comendador , mas já agora quem era os "Barvos" atletas? não será os bravos?

 

Arquivo

LIKE BOX

Contador

Filosofia

Sempre a espancar desde 2006, Representamos o espírito inconformado da Velha Guarda de Vila Franca de Xira que permanece por gerações. Somos Independentes e Regionalistas, Somos o eco dos tempos de glória, Somos a tua voz
“Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.”