Morre rapper ‘Raptor’ aos 24 anos


O rapper Mário Boavida, conhecido como ‘Raptor’, morreu esta terça-feira no Hospital de Vila Franca de Xira, após três dias de coma profundo.

Com apenas 24 anos, o jovem músico tinha sofrido uma paragem cárdio-respiratória no domingo, encontrando-se desde aí internado, avançou o jornal ‘O Mirante'.

‘Raptor' tinha lançado um disco, ‘Pontos nos iis' e era apontado como um dos jovens valores do hip hop nacional, tendo trabalhado com Sam the Kid, Medo D ou Dama Bete.

A morte súbida do jovem, que estava também no segundo ano do curso de Direito da Faculdade de Direito de Lisboa, já foi comentada em páginas do Facebook, como a do produtor Madkutz.

O corpo do músico será velado na igreja de Vila Franca de Xira sexta-feira, de onde sairá o funeral, sábado às 10h00, para o cemitério local.


in Correio da Manhã

3 comentários:

Alter Ego disse...

Tive o prazer de o conhecer e de trocar até algumas ideias sobre música com ele em várias conversas de Litra. Não sendo eu um fan confesso de Hip Hop reconheço no Mário aka Raptor as qualidades e dedicação com que fazia as suas rimas, expressando dessa forma a sua visão de tudo o que o rodeava. Era uma mente crítica e analítica da sociedade onde vivia e certamente teria um futuro muito promissor na sua área musical. Vila Franca de Xira perde um valor. Aqui ficam o meu respeito e as minhas mais sinceras condolências à família do Mário.

HAMMER' ALL disse...

RIP

StarköL disse...

Bem Dito Alter faço minhas as tuas palavras...RIP Mario

 

Arquivo

LIKE BOX

Contador

Filosofia

Sempre a espancar desde 2006, Representamos o espírito inconformado da Velha Guarda de Vila Franca de Xira que permanece por gerações. Somos Independentes e Regionalistas, Somos o eco dos tempos de glória, Somos a tua voz
“Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.”