Câmara de Vila Franca assume gestão da frente ribeirinha

A câmara de Vila Franca de Xira vai passar a gerir cerca de 60 hectares de terrenos ribeirinhos até aqui tutelados pela Administração do Porto de Lisboa. São parcelas distribuídas por seis freguesias para onde se prevêem alguns projectos de requalificação.

As presidentes da Administração do Porto de Lisboa (APL) e da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira assinaram, na quarta-feira, um protocolo para a transferência para a gestão municipal de cerca de 60 hectares de áreas ribeirinhas sem utilização portuária. O acordo agora celebrado vai também facilitar o desenvolvimento dos projectos de requalificação da frente ribeirinha vila-franquense que deverão envolver investimentos de cerca de 18 milhões de euros nos próximos três anos.

“Vila Franca de Xira tem no Tejo um elemento estratégico de desenvolvimento económico e pretendemos que o Tejo volte a assumir o papel que já teve como grande via comercial”, sustentou Maria da Luz Rosinha, presidente da autarquia vila-franquense, referindo-se especialmente ao projecto de relançamento do transporte fluvial de mercadorias entre Lisboa e a plataforma logística que está em construção no norte do concelho.


Também o secretário de Estado dos Transportes defendeu a aposta no transporte fluvial. Correia da Fonseca observou que a Plataforma Logística de Lisboa Norte vai ter características “multimodais”, com ligações rodoviárias, ferroviárias e fluviais. O governante explicou que as administrações portuárias têm vindo a negociar com os municípios a transferência da gestão de espaços sob sua tutela que não se prevê que venham a ter utilização portuária, citando exemplos em Sines e Lisboa.

Maria da Luz Rosinha frisou que os 60 hectares que o município vai receber são uma responsabilidade, mas também uma grande possibilidade. “Até 2013 temos a responsabilidade de levar por diante os projectos que vimos aprovados e que vão possibilitar uma intervenção de requalificação de toda a frente ribeirinha”, concluiu.

As dez parcelas em causa

. Área correspondente ao bairro avieiro de Vila Franca de Xira;

. Área ribeirinha da antiga fábrica de descasque de arroz e diversas pontes cais;

. Zona entre a praça de toiros e o campo de futebol da UDV;

. Área compreendida entre a extremidade sul do campo da UDV e o final das instalações militares das antigas escolas da Armada, com excepção do espaço sob jurisdição militar;

. Área compreendida entre as antigas escolas da Armada e o bairro avieiro de Alhandra;

. Zona de frente ribeirinha do Sobralinho;

. Área compreendida entre o Sobralinho e o Adarse (Alverca);

. Espaço entre o limite poente do Adarse e a zona dos areeiros da Póvoa de Santa Iria;

. Área entre as instalações da Somague e os avieiros da Póvoa de Santa Iria;

. Área compreendida entre os terrenos industriais da Solvay e o limite do concelho de Vila Franca .

Fonte: Jorge Talixa - Noticias de Alverca

0 comentários:

 

Arquivo

LIKE BOX

Contador

Filosofia

Sempre a espancar desde 2006, Representamos o espírito inconformado da Velha Guarda de Vila Franca de Xira que permanece por gerações. Somos Independentes e Regionalistas, Somos o eco dos tempos de glória, Somos a tua voz
“Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.”