Câmara vai concentrar serviços no Vilafranca Centro

O processo de remodelação do Vilafranca Centro para criar condições para que o edifício comercial receba os serviços camarários hoje dispersos pela cidade vai começar em breve. A câmara aprovou o contrato-promessa de arrendamento e está prevista para as próximas semanas uma assembleia de condóminos do Vilafranca Centro. O edifício dos Paços do Concelho manterá uma função nobre na vida autárquica local e passará a servir também para sede da assembleia municipal.

Os serviços da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, hoje dispersos por 17 edifícios da cidade sede de concelho, vão ser concentrados no Vilafranca Centro, ao que tudo indica até final do actual mandato autárquico. O contrato-promessa de arrendamento com opção de compra foi aprovado na última reunião camarária, com votos favoráveis do PS e da coligação Novo Rumo (PSD/CDS-PP/PPM/MPT) e abstenções da CDU. A autarquia pagará uma renda mensal da ordem dos 94 mil euros e poderá, posteriormente, exercer o direito de preferência, negociando a aquisição do espaço com a empresa do grupo Obriverca proprietária do centro comercial.


Para que tudo isto se concretize, o Vilafranca Centro terá que passar por uma grande obra de remodelação, que concentrará as lojas e restaurantes nos dois pisos inferiores e que será suportada pelos seus proprietários. Ao mesmo tempo serão criadas áreas autónomas, com acessos próprios e sem ligação directa entre si: uma para actividades comerciais e outra para os serviços camarários. A autarquia, segundo o acordo, vai ocupar uma área equivalente a 78 fracções comerciais, às duas salas de cinema e a área de arrumo. Criará, também, um auditório na antiga sala de cinema Imax.

Maria da Luz Rosinha, presidente da edilidade vila-franquense, lembrou que a última vez que a câmara discutiu este assunto foi em Novembro de 2007. “A partir desse momento desenvolveu-se todo um processo de acerto em termos de áreas, vindo a câmara a ocupar uma área superior, embora pelo mesmo preço inicialmente previsto”, afiançou a edil, frisando que esta proposta de contrato-promessa de arrendamento com opção de compra reduz o prazo para o exercício dessa opção dos 20 anos anteriormente previstos para 18, o que “representa um ganho aproximado para o município da ordem de 1 milhão de euros. Acredito que daqui a 18 anos continuará a ser um ganho a proteger”, vincou, acrescentando que a área destinada aos serviços camarário vai ter entradas e saídas próprias que poderão ser utilizadas a qualquer hora do dia ou da noite.

Nuno Libório reconheceu que este processo é “muito importante” e estava, inclusivamente, inscrito no programa eleitoral da CDU, como “um projecto inadiável” e “prioritário”. O autarca salientou que a CDU “não vai pôr em causa a necessidade destas novas instalações, que são precisas há muitos anos”, mas frisou que há algumas questões que os vereadores comunistas querem ver esclarecidas.


Novo Rumo apoia

João de Carvalho, vereador da coligação Novo Rumo, realçou a grande poupança que este edifício único vai proporcionar e o seu colega de bancada Rui Rei salientou que esta solução também vai permitir que “os serviços prestados aos cidadãos sejam cada vez com melhor qualidade. A actual dispersão não permite que esses serviços sejam prestados da melhor forma. Diariamente, os funcionários andam a correr de um lado para o outro. É fundamental encontrar uma resposta global”, frisou.

Sublinhando que Vilafranca Centro “tem vindo a definhar”, mas considerando que continua a ser um ponto central da cidade, Rui Rei alertou para a questão do estacionamento e para a eventual necessidade de criar mais estacionamento nesta área.

“Poderemos eventualmente discutir se a melhor solução é a compra ou o arrendamento. Isso foi discutido, mas não tenho para mim como necessidade absoluta que a câmara adquira o imóvel”, afirmou o autarca social-democrata.

Os eleitos socialistas Fernando Paulo Ferreira e Conceição Santos realçaram, ainda, a melhoria qualitativa do atendimento aos cidadãos que esta solução vai proporcionar e a revitalização do Vilafranca centro e de toda esta área da cidade.

Nuno Libório salientou que a CDU precisava de mais dados e de mais esclarecimentos para poder votar favoravelmente esta proposta. “As dúvidas ainda subsistem à CDU se a construção de raiz seria uma melhor opção de todos os pontos de vista, do económico ao temporal. E achamos que o contrato de arrendamento precisaria de mais algumas melhorias”, acrescentou, justificando a opção da CDU pela abstenção.


Fonte: Noticias de Alverca

1 comentários:

Liber Pater disse...

Agradecia que o novo guru da cultura Vilafranquense, o Exm o Sr. joão Carvalho, ñ se esqueça que a nossa cidade ficou sem cinema...se ñ era rentável de semana, de certeza que se iria tornar, pelo menos ao fds...Digam lá que ñ tem saudades de ir ao cinema na nossa terra?????

 

Arquivo

LIKE BOX

Contador

Filosofia

Sempre a espancar desde 2006, Representamos o espírito inconformado da Velha Guarda de Vila Franca de Xira que permanece por gerações. Somos Independentes e Regionalistas, Somos o eco dos tempos de glória, Somos a tua voz
“Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.”