Tribunal mete água


Vila Franca de Xira: Advogado diz que «chovia lá dentro como na rua».
Documentos em papel estão destruídos e computadores também ficaram molhados








Diversos processos do 2ºJuízo Criminal de Vila Franca de Xira, que funciona num contentor desde o verão, foram parcialmente destruídos pela água da chuva que caiu esta manhã, contou à Lusa um dos advogados daquele juízo.

«Quando começou a chover a água inundou o contentor onde funciona o 2ºjuízo criminal. Chovia lá dentro como na rua. Houve processos que pelo menos em parte terão ficado destruídos. Estamos a falar de processos todos em papel», contou o advogado Henrique Levezinho.

Segundo o advogado, «só escaparam os processos que estavam guardados dentro dos armários».

Henrique Levezinho disse ainda que tanto funcionários como magistrados e advogados ainda «tentaram salvar» o que podiam dos processos.

«Os computadores também ficaram molhados, não sabemos se o que estava no disco foi ou não afectado pela água que caiu em cima das secretárias», acrescentou.

Instalados em contentores desde o Verão estão não só o 2ºjuízo criminal de Vila Franca de Xira, mas também duas salas de audiência.

«Se estiver a decorrer uma audiência numa das salas ouve-se na outra e as testemunhas que estão fora ou na sala ouvem tudo o que se está a passar», afirmou, sublinhando a falta de privacidade destas audiências.

Criticando esta opção de instalar as salas de audiência e o 2ºjuízo criminal em contentores, Henrique Levezinho realçou que «o tribunal tinha encontrado uma solução».

«Havia em Vila Franca de Xira uma solução, um espaço com 600 metros quadrados, com uma renda simbólica. Obviamente que o ministério da Justiça tinha que fazer obras de adaptação, como acabou por fazer para instalar os contentores, para criar salas de audiência», explicou.


Fonte: iol.pt


0 comentários:

 

Arquivo

LIKE BOX

Contador

Filosofia

Sempre a espancar desde 2006, Representamos o espírito inconformado da Velha Guarda de Vila Franca de Xira que permanece por gerações. Somos Independentes e Regionalistas, Somos o eco dos tempos de glória, Somos a tua voz
“Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.”