Folhas de plátanos de Vila Franca compõem instalação de artista brasileiro.

Oito artistas de Portugal, Brasil e Espanha têm exposições de arte contemporânea no Celeiro da Patriarcal, em Vila Franca de Xira, até 6 de Fevereiro. A instalação “Favelão”, do reconhecido artista plástico Gilvan Nunes, convida a uma interacção entre o público e a obra.

Folhas de plátanos apanhadas na zona do Pavilhão do Cevadeiro, em Vila Franca de Xira, cobrem o chão da instalação “Favelão” do reconhecido artista plástico brasileiro Gilvan Nunes. A exposição está no Celeiro da Patriarcal, juntamente com os trabalhos de mais sete artistas, até ao dia 6 de Fevereiro. A sessão de apresentação dos catálogos Colectiva Projecto1_Galeria Paulo Nunes – Arte Contemporânea, “Amar-te a Vida Inteira” de Ana Pimentel e Instalação “Favelão” de Gilvan Nunes, decorreu na quinta-feira, 20 de Janeiro.

Num canto está uma televisão, as paredes estão cobertas de telas com carimbos de padrões florais e no chão as folhas de plátanos misturadas com postais convidam a ir para cima. Também existem jarras, pratos e muitos outros elementos. “Considero o ‘Favelão’ do Gilvan Nunes muito Vila Franca de Xira”, começa por dizer o comissário da exposição, Nuno Marote.

Por se tratar de um artista brasileiro, Nuno Marote sentiu a necessidade de ligar o “Favelão” a Vila Franca de Xira, para criar uma maior envolvência com a comunidade. “Fomos apanhar as folhas e colocámos no chão para os visitantes poderem pisar à vontade. Estas folhas expressam a dinâmica e a mudança contínua. Esta instalação está muito marcada pelo tempo”, explica.

O “Favelão” foi preparado para o público poder interagir com a própria obra. “Explosivo e cativante em cor e textura, Gilvan Nunes desenvolve o seu trabalho e mostra de um modo inquietante neste Favelão, dezenas de decalques em porcelana com motivos que reflectem a sua ligação com a paixão, a alegria e a força”, escreve o comissário da exposição no catálogo.

Margarida Rebelo Pinto veio também a Vila Franca de Xira para a sessão de apresentação dos catálogos. O trabalho de Gilvan Nunes, na opinião da escritora, “supera-se a si mesmo pela força e por um elevado sentido de equilíbrio e de liberdade”.

Além da instalação de Gilvan Nunes a mostra conta também com os trabalhos de Ana Pimentel, Joana Rêgo, José de Guimarães, Marcela Navascués, Marta Strambi, Paulo Damião e Susana Pires.

A exposição resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e a galeria “Paulo Nunes – Arte Contemporânea”, localizada no centro histórico de Vila Franca de Xira. Concebido em 2006, o “Favelão” nunca tinha sido mostrado antes em Portugal.

Fonte: O Mirante

0 comentários:

 

Arquivo

LIKE BOX

Contador

Filosofia

Sempre a espancar desde 2006, Representamos o espírito inconformado da Velha Guarda de Vila Franca de Xira que permanece por gerações. Somos Independentes e Regionalistas, Somos o eco dos tempos de glória, Somos a tua voz
“Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.”