Iluminices: Aeroporto Internacional de Denver

A grande maioria de histórias misteriosas sobre lugares estranhos que ouvimos por aí são de locais antigos, mas dessa vez é diferentes, pois esse aeroporto foi construído em 1995, mas carrega diversos mistérios.
Em todos os cantos do aeroporto existem coisas que despertam a atenção, como pinturas esquisitas, símbolos estranhos, gárgulas, um cavalo que parece saído do Apocalipse Bíblico, além de um lugar onde existe algo enterrado e que só será aberto em 2094. Para adensar o mistério, o lugar foi construído de maneira exagerada, como se fosse apenas uma diversão que oculte para algo bem maior.

 O orçamento inicial era de 1,7 mil milhões de dólares, mas seu custo final foi de 4,8 mil milhões, quase três vezes mais do que o preço planejado. Esses valores astronómicos, junto com as estruturas gigantescas fizeram com que várias teorias sobre a verdadeira finalidade do local surgissem, muitas pessoas acreditam que lá existe uma base militar secreta e alguns dizem que na verdade é uma instalação governamental que esconde aliens e disco voadores. Todas essas coisas estranhas e símbolos esquisitos tornam esse um dos locais mais misteriosos do mundo, pois certamente ele foi feito para ser algo muito maior do que um simples aeroporto e certamente também é um local que esconde algo muito misterioso, pois existem muitas mensagens estranhas que podem-se ver em todos os cantos do Aeroporto Internacional de Denver. Por todos esses motivos nós vamos nos aprofundar mais nos mistérios que envolvem este lugar.

 O Cavalo do Apocalipse


Logo na entrada, uma imensa escultura recebe os visitantes: um magnífico cavalo azul empinado… Cujos olhos brilham intensamente à noite! Algumas teorias dizem que representaria um dos cavalos do Apocalipse, conforme o Livro das Revelações da Bíblia…. Todavia, a nossa interpretação é outra: – aqui há um simbolismo muito evidente, porém velado: – quem é, ou foi militar imediatamente o reconheceria! Um cavalo com as duas patas erguidas significa…. Morte em Guerra!
Na foto, o artista e escultor Luiz Jimenez, o autor do “cavalo mágico” do Denver Airport – também conhecido naquela cidade como “O Cavalo Pálido do Apocalipse” – quando produzia o seu trabalho. Estranhamente, o artista morreu vítima de um inusitado acidente: – um bloco dessa obra desprendeu-se da cabeça do 'animal' e o matou! Os seus amigos agora dizem que o cavalo está amaldiçoado.

 Pedra Maçônica:


No salão principal do aeroporto existe uma pedra maçônica bastante estranha, que se refere a uma nova ordem mundial. Além disso, embaixo desse marco existe um caixa do tempo que só será aberta em 2094, mas o conteúdo guardado lá é totalmente desconhecido. Note a menção escrita na pedra “New World Airport Commission”. Essa comissão não existe, parece que se refere à Nova Ordem Mundial (NWO). 

Pistas em forma de Cruz Suástica:


Por todo o aeroporto existem muitas alusões ao nazismo (maiores detalhes num próximo post), mas há em especial uma se destaca muito: as pistas têm o formato de suástica. É praticamente impossível que os criadores, enquanto desenhavam as pistas, não tenham notado seu formato estranho. Caso alguém tivesse notado, o projeto teria sido refeito, pois existem relatos de prédios americanos que tinham esse formato e que foram reformados totalmente, apenas para não lembrarem o símbolo nazi.

 Gárgulas:

As gárgulas normalmente são estatuas monstruosas utilizadas como desaguadouros das calhas em prédios religiosos, mas em Denver eles estão no lado interno do aeroporto, como se fossem guardiões demoníacos, cuidando das pessoas que por lá passam, afinal eles não possuem nenhuma função especificas, além de completar a decoração macabra do local.

 Pintura Estranha:


Esta pintura estranha pretende representar a mãe terra, porém se observarmos com atenção ela mais se parece com uma representação de extraterrestres, afinal existem umas faces observando o planeta do céu, além de que o ser central da pintura, que deveria representar uma forma ‘nativa’ da “mãe terra”, não lembra nada de nativo, pois seus traços são completamente bizarros. Mesmo com todas estas coisas estranhas encontradas no aeroporto, ainda não acabamos de falar sobre o mesmo, porque afinal ainda existem algumas pinturas que parecem representar o fim do mundo.

 Murais Proféticos:


Divididos em quatro paredes, os murais pintados por Leo Tanguma supostamente representam paz, harmonia e natureza. Ao analisarmos o simbolismo nos murais, percebemos que eles contam uma história aterrorizante de eventos futuros, como algum tipo de profecia. Existem referências sociais e políticas específicas e outros detalhes ocultos que basicamente transformam essas pinturas em um manifesto da Nova Ordem Mundial. Leo confirmou que foi dado a ele algumas guias para as pinturas e foi pago 100 mil dólares pelas primeiras. Mais tarde ele negou que foi dado instruções e se recusou a falar sobre qualquer significado oculto nas pinturas. As pinturas prévidas de Leo Tanguma eram tipicamente arte Chicanas, carregadas politicamente e orientadas para a comunidade. Entretanto, seu trabalho no DIA dá uma “vibração” totalmente diferente, fazendo-me pensar que ele desenhou a visão de outra pessoa. E quando questionado sobre o sentido dessas estranhas imagens no Aeroporto de Denver, o muralista Leo Taguma declarou: – “Não entendo porque os teóricos das conspirações encontraram mensagens ocultas no meus murais sobre ambientalismo”!
 
Sabe-se que os tais Illuminati, dentro da sua política de engano, indevidamente se apoderaram de vários simbolismos maçônicos e iniciáticos! Muito pelo contrário, é nossa opinião que tudo aquilo que está colocado no Denver International Airport, se realmente tiver sido elaborado pela Maçonaria, é altamente simbólico e revelador, uma mensagem de alerta para a humanidade! Tudo, enfim, que está postado no Denver Airport seria justamente um alerta da Maçonaria contra as forças sombrias que brevemente tentarão desencadear o caos no mundo! Mas, por que Ela escolheu Denver? E por que as suas mensagens são especificamente dirigidas ao ano de 2094?




1 – Paz e Harmonia com a Natureza




Paz e Harmonia com a Natureza? Parece brincadeira, mas não é. Esse é o verdadeiro nome do quadro, que se observado com perspicácia mostra na verdade o caos da natureza. No centro da imagem é possível ver crianças tristes lamentando a morte de animais, mais ao lado notam-se alguns outros seres enjaulados em celas de vidro e para completar pode-se observar uma floresta pegando fogo ao fundo. De paz e harmonia com a natureza esse quadro não tem nada. Mais embaixo na pintura, ainda podemos ver três crianças mortas, cada um representando uma etnia, como se a imagem quisesse dizer que no futuro elas irão “morrer” ou desaparecer do mundo. Note que uma das crianças segura um bloco similar ao Calendário Maia.


Abaixo, podemos ver três caixões abertos com garotas mortas de diferentes culturas. A esquerda está uma mulher negra e no centro uma india-americana. Por que elas estão deitadas lá?
Estamos prevendo a extinção destas raças? Já sabemos que os militares da NATO desenvolveram armas químicas e biológicas específicas para raças. Aqui o que o Project for New American Century (PNAC), define como política militar dos EUA: .

 “… a arte da guerra… será vastamente diferente do que é hoje… ‘combate’ ocorrerá em novas dimensões… formas avançadas de guerra biológica que pode atacar genótipos (raças) específicos podem transformar a guerra biológica de reino de terror a ferramenta de uso político.”




2 – Crianças do Mundo dos Sonhos de Paz

Olhando assim, sem dar muita atenção, vemos uma bela pintura colorida, representando as crianças em um mundo de paz e alegria, mas se prestar atenção aos detalhes verá uma imagem perturbadora. Muitas delas carregam, junto com as bandeiras de seu país, um monte de armas, porém o mais estranho é para quem eles estão as oferecendo: uma criança alemã. Não esqueçam que essa imagem está na parede do maior aeroporto americano, o que é algo muito estranho. Afinal, o nazismo surgiu na Alemanha e a imagem que continua esse quadro é uma citação direta a ordem criada por Hitler:
Nessa segunda parte do quadro vemos algo muito estranho: um soldado nazi (note o símbolo no chapéu) segurando um rifle e com a outra mão uma espada que está claramente atacando a pomba, ou seja, atacando a paz. Além disso, podemos ver pessoas sofrendo ao lado e prédios destruídos, em uma imagem que mostra um futuro obscuro, onde os nazis reinam sobre tudo.
Para completar as indicações ao nazismo, bem no canto inferior direito, podemos ver uma carta escrita por Hama Herchenberg, adolescente que morreu no campo de concentração de Auschwitz.

 3 – Harmonia com a Natureza


Para finalizar, esse quadro parece representar a volta ao normal, pois as pessoas que apareciam tristes e mortas estão felizes e vivas. De certa maneira parece que uma “Nova Ordem Mundial” foi estabelecida e o mundo voltou aos eixos. Tudo isso, somado as indicações citadas nos outros posts, mostram que esse lugar parece ser na verdade uma indicação de uma “Nova Ordem Mundial”, ordem essa que parece ser comandada pelos nazis, afinal as citações a eles foram colocadas em todos os cantos do aeroporto.

 O que tudo essas mensagens subliminares no Aeroporto Internacional de Denver querem dizer é um mistério, mas todas as coisas estranhas lá encontradas fazem com que as especulações sobre o lugar sejam muitas, mesmo por que poucos lugares dão tantos sinais sobre uma “Nova Ordem Mundial” como ele. Para resumir, esses murais claramente mostram objetivos admitidos que você pode ler em documentos chamando por uma Nova Ordem Mundial:

- Despopulação massiva da Terra 
- Um Governo Mundial 
- Restauração da natureza .

Extraído e Adaptado das Fontes: Fim dos Tempos e Verdade Messias

0 comentários:

 

Arquivo

LIKE BOX

Contador

Filosofia

Sempre a espancar desde 2006, Representamos o espírito inconformado da Velha Guarda de Vila Franca de Xira que permanece por gerações. Somos Independentes e Regionalistas, Somos o eco dos tempos de glória, Somos a tua voz
“Se há característica irritante em boa parte do povo português é a sua constante necessidade de denegrir e menosprezar o que é feito dentro de portas. Somos uma nação convicta de que nada de bom pode sair da imaginação do português comum e que apenas o que nos chega do exterior é válido e interessante.”